quinta-feira, dezembro 18, 2008

Um Santo Natal e um 2009 de se lhe tirar o chapéu




Caríssimo(a) Amigo(a) do Museu da Chapelaria,


Hoje queremos agradecer-lhe por ter partilhado connosco mais um ano de trabalho!


Esperamos que tenha um excelente e santo natal e que 2009 seja um ano de se lhe tirar o chapéu!


Cumprimentos chapeleiros de toda a equipa do Museu

terça-feira, dezembro 16, 2008

prémios APOM 2007

No passado dia 12 de Dezembro decorreu no Museu da Farmácia a entrega dos Prémios APOM 2007, numa cerimónia que contou com a presença do Presidente do Instituto dos Museus e da Conservação, Dr. Manuel Bairrão Oleiro e da representante da Comissão de Ética, Sociedade e Cultura, Dra. Teresa Caeiro.

E os distinguidos foram:

MELHOR MUSEU PORTUGUÊS
Prémio: Fluviário de Mora

Menção Honrosa: MACE- Museu de arte Contemporânea de Elvas e Museu Arqueológico do Fundão


MELHOR EXPOSIÇÃO
Prémio: Museu Nacional de Arqueologia


MELHOR SERVIÇO DE EXTENSÃO CULTURAL
Prémio Ex Aequo: Museu Colecção Berardo e Museu das Comunicações


MELHOR CATÁLOGO
Prémio Ex Aequo: Museu Neo Realismo, Centro de Arte Moderna Azeredo Perdigão, Museu Marítimo de Ílhavo – Um Museu com História. Prof. Doutor Álvaro Garrido e Divisão de Edições da Assembleia da Republica


MELHOR TRABALHO SOBRE MUSEOLOGIA
Prémio Ex Aequo: Revista Museologia.PT e “ Da Casa ao Museu – Adaptações Arquitectónicas nas Casas-Museu em Portugal” (dissertação de mestrado de Arq. Marta Rocha Moreira apresentada à Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto)


MELHOR SITE
Prémio: Museu da Polícia Judiciária

MELHOR TRABALHO JORNALISTICO
Prémio: Jornal Publico

Menção Honrosa: Diário de Noticias da Madeira


MELHOR PERSONALIDADE NA ÁREA DA MUSEOLOGIA
Prémio: Drª. Adília Alarcão

Fluviário de Mora

quinta-feira, dezembro 11, 2008

Férias de Natal no Museu 2008

Pelo quarto ano consecutivo o Serviço Educativo do Museu da Chapelaria preparou um programa de férias para os seus filhos.

Não deixe de os inscrever nas oficinas de trabalho programadas especificamente para eles…

As férias de Natal no Museu decorrem entre os dias 23 e 26 e 30 e 2 de Janeiro, das 14h30 às 17h30. São 6 dias de puro divertimento.

Inscrições abertas até ao próximo dia 20. Para mais informações contactar o 256 201 680.








quarta-feira, dezembro 10, 2008

prémios da APOM



Na próxima sexta-feira, 12 de Dezembro, pelas 18h, decorre no Museu da Farmácia, em Lisboa, a Cerimónia Anual de entrega de Prémios da Associação Portuguesa de Museologia.


A cerimónia de abertura será presidida pela Sra. Secretária de Estado da Cultura, Dra. Paula Fernandes dos Santos.


(na fotografia, representantes das instituições premiadas em 2007)

terça-feira, dezembro 09, 2008

desfile de barretes de Pai Natal


Este sábado, dia 13 de Dezembro, pelas 20h30, junte-se ao grande desfile de barretes de Pai Natal com Luz, com saída do Museu da Chapelaria.


Este ano 50% do valor das vendas reverte a favor dos Bombeiros Voluntários de S. João da Madeira que, com esta receita, pretendem adquirir um novo autotanque.


Enfie o seu barrete e junte-se a este movimento!

sexta-feira, dezembro 05, 2008

em Dezembro no Museu


A agenda do mês de Dezembro já está nas bancas.


Aproveitamos para chamar a atenção para a inauguração da exposição "A Árvore... dos Chapéus" no próximo dia 10 de Dezembro na Sala dos Usos Sociais.


Estão também abertas as inscrições para as "Férias de Natal no Museu" que este ano decorrem entre 23 de Dezembro e 02 de Janeiro.


Finalmente, aproveitamos para relembrar que está a decorrer a campanha de solidariedade dos Barretes de Natal com Luz, que este ano visa angariar fundos para os Bombeiros Voluntários de S. João da Madeira. Não perca a oportunidade de participar, comprando um barrete nas várias lojas autorizadas da cidade e juntando-se, no dia 13 de Dezembro, à grande Caminhada de Solidariedade dos Barretes de Natal, que sai do Museu da Chapelaria às 20h45.


Em Dezembro esperamos poder revê-lo.


(se não recebe a nossa newsletter, por favor, envie um mail para museu.chapelaria@gmail.com)

quinta-feira, dezembro 04, 2008

Workshop de Feltragem... momentos




No passado dia 29 de Novembro, o Serviço Educativo do Museu da Chapelaria organizou um Workshop de feltragem, monitorizado pela formadora Stefanie Köne.

Foram 8 horas de árduo trabalho dedicado à feltragem manual de água e sabão para obter no final um fantástico chapéu de feltro de lã.

JÁ AGORA, SABIA QUE…

…o feltro foi o primeiro tecido produzido pela humanidade, antes mesmo das técnicas de tecelagem?

A feltragem pode ser obtida de duas maneiras, água quente e agulha, e só é possível porque a lã pura possui pequenas películas que quando misturadas (seja com agulha ou com água quente) se condensam formando uma superfície densa. Ficam tão aglomeradas que até é possível cortar com uma tesoura em formas diferentes, como se fosse um tecido.

domingo, novembro 30, 2008

Desfile de barretes de natal com luz

Devido às condições climatérias o desfile de barretes de natal com luz, que decorreria hoje pelas 20:45, será adiado para o próximo dia 13 de Dezembro (sábado) no mesmo horário.

Ficamos a contar consigo e com o seu barrete!

quinta-feira, novembro 27, 2008

barretes de Pai Natal


No próximo domingo, pelas 20h45 decorrerá a tradicional concentração e desfile de barretes de Natal com luz inserido na Campanha de Natal 2008, a que se seguirá a inauguração da iluminação de Natal, a actuação de coros e a inauguração do presépio gigante de areia.

Junte-se a este movimento de solidariedade, adquirindo o seu barrete de Natal.
Este ano 50% do valor das vendas reverte a favor dos Bombeiros Voluntários de S. João da Madeira que, com esta receita, pretendem adquirir um novo autotanque.

Enfie o seu barrete e junte-se a este movimento.

Poderá adquirir o seu barrete de natal nas lojas de comércio local aderentes, no museu da chapelaria, na biblioteca municipal, nos paços da cultura, no complexo desportivo Paulo Pinto, na Câmara Municipal, na loja do munícipe (Fundo de Vila), no quartel dos Bombeiros Voluntários ou na Junta de Freguesia.

Contamos consigo e com o seu barrete!

quinta-feira, novembro 20, 2008

workshop de iniciação à feltragem


O museu da chapelaria organiza no próximo dia 29 de Novembro, das 10h às 19h, um workshop de iniciação à feltragem em água e sabão, durante o qual os formandos vão aprender a fazer um chapéu.


O workshop tem um custo de 30€.

Para proceder à inscrição deverá enviar um mail para museu.chapelaria@gmail.com até ao próximo dia 27 de Novembro (pagamento até 29 de Novembro).


Para mais informações contacte o serviço educativo do museu da chapelaria pelo telefone 256 201 680.

um chapéu por um sorriso de partida


Os 12 chapéus criados por estilistas portugueses para o projecto UM CHAPÉU POR UM SORRISO estarão expostos no Centro Comercial Bombarda até ao próximo dia 25 de Novembro.

Esta será a última oportunidade de ver estes maravilhosos chapéus antes que sejam definitivamente entregues aos seus actuais proprietários!

Não deixe de visitar o Centro Comercial Bombarda este fim-de-semana!

sexta-feira, novembro 07, 2008

museu da chapelaria cede exposição ao CCB



Entre 08 e 20 de Novembro o Museu da Chapelaria vai ceder a exposição UM CHAPÉU POR UM SORRISO ao Centro Comercial Bombarda, no Porto.


A exposição será inaugurada no âmbito do Circuito Bombarda no próximo dia 08 de Novembro, a partir das 17h00.


No dia 15 de Novembro, a partir das 12h, o Serviço Educativo do Museu da Chapelaria vai realizar diversas oficinas de chapéus (crianças) e feltragem (adultos) também no Centro Comercial Bombarda (inscrições na loja Com Pés e Cabeça).


Não falte e aproveite para ver os extraordinários chapéus que 12 conceituados estilistas portugueses realizaram para o projecto UM CHAPÉU POR UM SORRISO que visou angariar verbas para a Fundação do Gil.

quarta-feira, novembro 05, 2008

newsletter do museu


A newsletter de Novembro já está nas bancas!


Este mês não perca a exposição internacional FELTROS DO MUNDO. ARQUITECTURAS DE CABEÇA que reúne 21 artistas internacionais e a sua visão única e original do chapéu. São mais de trinta trabalhos em feltro que empregam as mais diferentes técnicas de feltragem.


No dia 29 de Novembro, o Museu da Chapelaria organiza um WORKSHOP DE FELTRAGEM para maiores de 15 anos. No fim deste workshop esperamos que possa levar consigo o seu próprio chapéu!


Vai encontrar estas e muitas outras informações na nossa newsletter.

Se ainda não a recebe, envie um mail para museu.chapelaria@gmail.com


Em Novembro esperamos por si!


quinta-feira, outubro 16, 2008

Da necessidade de se usar chapéu


Na década de 50 do século XX instala-se uma crise na indústria de chapelaria portuguesa fruto, em certa medida, do facto do chapéu estar a cair em desuso.
Durante esta época foram muitos os esforços realizados pela indústria da chapelaria e pelo governo para que o chapéu voltasse a ser usado. Estas acções tinham como objectivo chamar a atenção para os malefícios do sol e para a importância de usar chapéu, e os jornais foram usados como principal meio de divulgação publicando diversos artigos apoiados por entidades credenciadas.
A titulo de exemplo, veja-se o artigo editado na Grei Sanjoanense de 15 de Setembro de 1951 sobre este tema, ainda hoje tão actual.

terça-feira, outubro 14, 2008

fábrica dos sentidos


A cafetaria e restaurante do museu já abriu.
Chama-se 'Fábrica dos Sentidos' e funciona todos os dias (excepto à segunda-feira) das 08h00 da manhã até às 02h00 da madrugada.

Venha conhecer as propostas de pequeno-almoço, almoço, lanche e jantar do nosso restaurante.
Esperamos por si.

terça-feira, outubro 07, 2008

Feltros do Mundo, Arquitecturas de Cabeça


A Câmara Municipal de S. João da MAdeira e o Museu da Chapelaria convidam-no a assistir à inauguração da exposição Feltros do Mundo, Arquitecturas de Cabeça, que decorrerá no próximo dia 11 de Outubro pelas 16h, na sala de exposições temporárias do Museu da Chapelaria.


Inserida no âmbito das actividades promovidas em S. João da Madeira a propósito do Ano Europeu para o Diálogo Intercultural, a exposição Feltros do Mundo, Arquitecturas de Cabeça, é fruto do desafio lançado pela International Feltmakers Association a 50 artistas de 10 países diferentes. Este desafio, intitulado Crowning Glory – architecture for the head, visava levar os artistas a conceberem chapéus em feltro que fossem elegantes ou práticos ou exuberantes, desde que fossem usáveis.
Todos os trabalhos apresentados por estes artistas foram avaliados por um júri independente composto por Laura Hamilton da Collins Gallery, a artista Edwina Bridgeman, Janet Taylor da James Locke, Milliners e Liz Clay da IFA International Officer.
Em exposição estão os trabalhos dos 21 artistas que foram seleccionados e a sua visão cultural do feltro enquanto matéria-prima e do chapéu enquanto acessório de moda.

sábado, outubro 04, 2008

A minha mãe é a mulher mais bela do Mundo

Ilustração de Maria João Lopes



A Junta de Freguesia de S. João da Madeira organizou o 1º Encontro de Ilustração no Feminino tendo convidado para o efeito mais de 30 artistas portuguesas de várias gerações, a fazerem através da ilustração, uma interpretação do conto russo “A minha mãe é a mulher mais bela do Mundo”.

Como refere Carlos Coelho, presidente da Junta de Freguesia,



Cada ilustradora foi convidada a criar 3 pranchas quadradas que representassem a sua leitura deste conto tradicional oriental e exprimissem a sua relação com a feminilidade nele contida. A evocação da maternidade e das relações profundas e íntimas que dimensionaram e aqui dimensionam a vida de cada ser humano foi aqui homenageada de forma original.



Esta iniciativa, promovida no Ano internacional do diálogo intercultural, quis celebrar a importância da leitura polissémica. Ler o mundo na sua infindável diversidade, ler as relações infinitas e únicas que se tecem entre os seres, ler as várias formas de expressões artísticas e técnicas usadas, e, ainda, ler a língua materna, constitui, para cada um de nós, um desafio, uma meta e, igualmente, um meio, fundamental, para se ler lendo o outro, e, assim, se dizer!


Até este domingo estará patente nos Paços da Cultura a belíssima exposição que resultou destes trabalhos.
A não perder!

quarta-feira, outubro 01, 2008

o nosso património, a nossa história




Numa iniciativa completamente inédita em S. João da Madeira, decorreram na passada sexta-feira, 26 de Setembro, as visitas “O NOSSO PATRIMÓNIO, A NOSSA HISTÓRIA”.

Realizadas no âmbito das Jornadas Europeias de Património, cujo tema deste ano foi “no património… ACONTECE” e organizadas conjuntamente pelo Museu da Chapelaria, a Biblioteca Municipal e os Paços da Cultura, pretendeu-se com esta actividade levar os jovens a redescobrirem a História da sua cidade através do património e das suas instituições.

Percorrendo a cidade a pé, os jovens iniciaram a sua visita, acompanhados pelos guias do Museu da Chapelaria, na Rua Oliveira Júnior, onde lhes foi apresentada a história da chapelaria e a sua importância para o desenvolvimento do Concelho.
Seguidamente, visitaram a OLIVA e ficaram a conhecer um pouco da história de uma das mais emblemáticas unidades industriais do País, tendo sido abordada a questão da arquitectura do edifício, das políticas sociais da empresa e das suas inovadoras estratégias de marketing.
Os jovens tiveram depois oportunidade de conhecer alguns exemplares de arquitectura industrial da cidade.
Durante esta iniciativa descobriram também a Arquitectura Brasileira da cidade, visitando, por exemplo, o edifício do Centro de Arte (a Quinta do Rei da Farinha).

Estas visitas terminaram nos Paços da Cultura e na Biblioteca Municipal, onde os jovens ‘turistas’ foram recebidos pelos guias de ambas as instituições. No primeiro caso tiveram oportunidade de visitar a instituição e a exposição patente, ficando a conhecer um pouco da história do edifício e no segundo caso contactaram com os escritores Serafim Leite, João da Silva Correia e Alão de Morais, ficando assim a conhecer as suas vidas e obra.

No próximo sábado, dia 04 de Outubro, esta iniciativa irá repetir-se.
Os interessados em participar deverão inscrever-se, bastando para o efeito ligarem para o Museu da Chapelaria (256 201 680).

quarta-feira, setembro 24, 2008

jornadas europeias do património em S. João da Madeira


Pela terceira vez consecutiva, S. João da Madeira, aderiu às Jornadas Europeias de Património promovidas, em Portugal, pelo IGESPAR.

A decorrer ao longo dos próximos dias 26, 27 e 28 de Setembro, a edição deste ano contempla um conjunto diversificado de acções que pretendem levar os sanjoanenses a reencontraram-se com o seu património.

Junte-se a nós este fim-de-semana!



PROGRAMA

26 DE SETEMBRO


10H00 e 15H00 – O NOSSO PATRIMÓNIO, A NOSSA HISTÓRIA: visita pedestre pela cidade e pela sua história. Através das fábricas, monumentos e instituições da cidade, tentaremos redescobrir a nossa História e aquilo que nos distingue.
Visitas organizadas em colaboração com a Biblioteca Municipal e Paços da Cultura.
Inscrição prévia obrigatória através do telefone 256 201 680.


27 DE SETEMBRO

10H00 – O NOSSO PATRIMÓNIO, A NOSSA HISTÓRIA: visita pedestre pela cidade e pela sua história. Através das fábricas, monumentos e instituições da cidade, tentaremos redescobrir a nossa História e aquilo que nos distingue.
Visitas organizadas em colaboração com a Biblioteca Municipal e Paços da Cultura.
Inscrição prévia obrigatória através do telefone 256 201 680.

16H00 – Oficina “À Descoberta do Feltro”: oficina lúdica realizada no Museu da Chapelaria que pretende levar os participantes a descobrirem o fascinante mundo do feltro e as suas potencialidades enquanto matéria-prima de trabalho. Destinada a crianças e jovens entre os 7 e os 16 anos.

17H00 – “À conversa com os chapeleiros”: com o objectivo de reforçar o vínculo entre o património e as pessoas, o Museu da Chapelaria organiza uma tertúlia com antigos chapeleiros que nos convidam a escutar muitas histórias sobre o trabalho mágico dos Unhas Negras. Público em geral.


28 DE SETEMBRO

TODO O DIA:
- Oficina “Chapelaria em Palavras Cruzadas”: testa a tua família no jogo das palavras cruzadas. Visita a exposição permanente e procura as palavras-chave distribuídas pelos três pisos da exposição.

- “Trivial da Chapelaria”: forma a tua equipa e vem brincar com este jogo de tabuleiro (a partir dos 8 anos)

- “Uma aventura no Museu”: forma a tua equipa e vem brincar com este jogo de tabuleiro (a partir dos 8 anos)

- “Chapéus há muitos” – descobre as personagens que usam chapéu; jogo de computador interactivo destinado a crianças entre os 5 e os 8 anos

sexta-feira, setembro 19, 2008

3º curso de Verão da APOM



Decorreu no Museu da Chapelaria, entre 08 e 12 de Setembro de 2008, os 3º Cursos de Verão da APOM, nos quais participaram 30 pessoas de todo o País, entre técnicos de museus, estudantes, funcionários públicos e diversas pessoas que não sendo da área têm um interesse particular pelas questões da museologia.

O curso foi dividido em diversos painéis que visaram abordar as principais temáticas da Museologia, sendo complementado com visitas a Museus do Distrito de Aveiro.

No fim do curso foi realizada uma avaliação, por intermédio do preenchimento de um questionário, sendo que globalmente os participantes classificaram o curso de 'MUITO BOM'.

sexta-feira, setembro 05, 2008

De regresso às aulas...

Dentro de poucos dias, a campainha do início das aulas vai tocar vibrantemente nos ouvidos de todos os estudantes do país.

E para desejar uma entrada com o pé direito a todos os alunos, professores e demais intervenientes na educação, recolhemos de um dos jornais locais, dois poemas escritos em 1992 por alunos do 1º ciclo da Escola do Parque de S. João da Madeira.
In O Regionalzinho de 27 de Junho de 1992 - III

Como em anos anteriores, o Museu da Chapelaria e o seu Serviço Educativo programaram exposições, encontros, cursos, workshop’s e muitas outras actividades para o ano lectivo 2008/2009, a divulgar brevemente, enquadrando-se e adaptando-se aos mais variados temas abordados em contexto de sala de aula.

Por este motivo, aguardamos a vossa visita e aproveitamos, desde já, para desejar a todos, um excelente ano lectivo.

quinta-feira, julho 24, 2008

novos chapéus em exposição



A partir de 25 de Julho estará patente, na sala dos Usos Sociais, uma exposição totalmente inédita de chapéus de finais da década de 30 e início da década de 70 do século passado que integram actualmente o espólio do Museu da Chapelaria.

Todos estes modelos são fruto de doações ou aquisições recentes e nunca estiveram em exposição.

Ao todo, apresentamos agora cerca de 37 novos chapéus doados por Daniel Serra Vaz (2005), José Dias Pereira (2006), Esmeralda Moreira de Andrade Loureiro Pipa (2007) e Maria Isabel Oliveira Valente (2008).
São ainda apresentados alguns modelos de uma colecção de chapéus adquirida num antiquário de Lisboa em 2007.

terça-feira, julho 22, 2008

chapéus há muitos!


Hoje em dia, menos do que há 30 anos atrás, cruzamo-nos com gentes, conhecidas e anónimas, que em comum têm apenas o incomum, trazerem consigo um chapéu.


“Chapéus há muitos” é o título da exposição de fotografia de Carlos Jorge Monteiro (Cajó), que andou pela rua procurando esses chapéus e essas gentes que ainda hoje fazem do chapéu um parceiro.
Entre os muitos anónimos que usam chapéu, Cajó descobriu também algumas personalidades públicas que ficaram registadas para sempre: FERNANDO VALE, MARIO SOARES, FERNANDO PESSA e JAIME SOARES são algumas dessas pessoas que estarão patentes nas fotografias de Cajó.
Afinal, ainda há muitos chapéus na rua!


Exposição patente na sala de exposições temporárias do Museu da Chapelaria a partir do próximo dia 25 de Julho.

Carlos Jorge Monteiro iniciou a sua actividade de Foto-Jornalismo no jornal Primeiro de Janeiro, onde trabalhou durante vários anos, tendo no mesmo período colaborado com outros jornais e revistas.
Na década de 90, contribuiu para o relançamento do jornal As Beiras, mais tarde Diário As Beiras, onde ainda é colaborador permanente.
Actualmente, é fotógrafo freelancer e colabora com vários jornais nacionais e revistas.
Participou na elaboração do Livro de Medalhística de Cabral Antunes (fotografia) obra publicada aquando da Homenagem Nacional a este Escultor, já falecido, participando também com fotografias para outros livros.
Tem participado em exposições colectivas e individuais, com temas como “Gentes da minha Aldeia”, “Queima das Fitas”, “Rostos” e uma das últimas, com o título “Chapéus”.

quinta-feira, julho 17, 2008

Férias de Verão no Museu


newsletter da APOM


A Associação Portuguesa de Museologia tem vindo a publicar uma newsletter trimestral onde constam diversas informações acerca da sua actividade e da vida museológica do País.

Saiu agora a edição de Julho.

Para mais informações contacte a APOM pelo mail apom65@gmail.com

segunda-feira, julho 14, 2008

3º Curso de Verão da APOM

No ano em que se comemora o 43º Aniversário da Associação Portuguesa de Museologia (1965-2008), a Câmara Municipal de S. João da Madeira e a Direcção da APOM promovem, no Museu da Chapelaria, o III Curso de Verão APOM 2008, que decorrerá entre 08 e 12 de Setembro de 2008.
Neste curso serão apresentadas sessões teóricas e práticas por profissionais de Museus, abordando as seguintes temáticas:

Introdução à Museologia;
Programação e Dinamização Museológica;
Gestão Museológica;
Exposição -Projectos Expositivos;
Conservação e Restauro;
Acção Cultural;
Tipologias de Museus;

Para além do programa científico, o Curso de Verão contará igualmente com um programa de visitas guiadas a vários museus e centros de interpretação localizados na região de Aveiro.
Para mais informações deverá contactar o Centro de Documentação (Dra. Joana Galhano) do Museu da Chapelaria através do telefone 256 201 680 ou por mail museu.chapelaria@gmail.com.

COMISSÃO ORGANIZADORA
Aida Rechena
João Neto
Maria Amélia Rincon
Maria Cristina Gonçalces
Pedro Inácio
Suzana Menezes


PROGRAMA

8 a 12 de Setembro de 2008

Dia 8 de Setembro
9.30 horas: Sessão de Abertura – Vice-Presidente da CM S. João Madeira e Presidente da APOM
10.00 horas: Painel I - Introdução à Museologia – António Nabais e Sofia Antunes
13.00 horas: Almoço
14.30 horas: Painel II - Programação e Dinamização Museológica – Aida Rechena e Maria José Santos
17.30 horas: Final dos Trabalhos

Dia 9 de Setembro
10.00 horas: Painel III - Gestão Museológica – Cristina Gonçalves e Teresa Pais
13.00 horas: Almoço
14.30 horas: Visita ao Museu Marítimo de Ílhavo e Museu da Vista Alegre
17.30 horas: Final dos Trabalhos

Dia 10 de Setembro
10.00 horas: Painel IV - Exposição e Projecto Expositivo – António Viana e Vítor Vajão
13.00 horas: Almoço
14.30 horas: Visita ao Museu do Papel Terras de Santa Maria e Museu de Santa Maria de Lamas
17.30 horas: Final dos Trabalhos

Dia 11 de Setembro
10.00 horas: Painel V – Introdução à Conservação e Restauro - Helena Nunes
11.30 horas: Painel VI – Tipologias de Museus – Amélia Ferraz e Pedro Inácio
13.00 horas: Almoço
14.30 horas: Visita ao Museu Municipal de Vale de Cambra e Casa Museu Egas Moniz, Estarreja
17.30 horas: Final dos Trabalhos

Dia 12 de Setembro
10.00 horas: Painel VII – Acção Cultural - Dália Paulo e Suzana Menezes
13.00 horas: Almoço
14.30 horas: Visita ao Museu de Chapelaria, S. João da Madeira
17.30 horas: Final dos Trabalhos



PREÇO DE INSCRIÇÃO:
Estudantes e sócios da APOM - 150 EUR
Profissionais de Museus do Distrito de Aveiro - 200 EUR
Não Sócios - 250 EUR
Inscrição normal inclui: Documentação e visitas guiadas com transporte.
Número máximo de inscrições: 45 (aceites por ordem de chegada)
Data limite de inscrição: 31 de Agosto de 2008

segunda-feira, julho 07, 2008

O Museu da Chapelaria associou-se ao Hat Weekend!


Nos dias 27, 28 e 29 de Junho a cidade de S. João da Madeira acolheu o “HAT WEEKEND” – Fim-de-semana com chapéu. Foi um festival de animação do espaço urbano, cujo tema central era o chapéu.

A organização deste evento esteve a cargo da Associação “S. João da Madeira.com”, com o apoio da Câmara Municipal através do Museu da Chapelaria. Para a implementação deste projecto, envolveram-se várias casas comerciais e instituições sanjoanenses.

O objectivo deste evento foi de pôr em evidência aspectos relevantes da história do concelho, criando condições para a promoção de um ambiente de dinamismo e de valorização dos saberes e valências locais, nomeadamente do comércio local.

sábado, julho 05, 2008

Cavalos com chapéu


"Cavalos com chapéu" é este o título de um interessante artigo que surge sob a forma de crónica no jornal sanjoanense o “Regional” de 1926.
Durante séculos o cavalo foi o braço direito do Homem, auxiliando-o nos trabalhos mais árduos e como principal meio de transporte de longas distâncias.
Com a evolução tecnológica acabou por perder importância, contudo nos inícios do século XX, manteve-se como principal meio de transporte profissional, em particular nas grandes cidades, de lazer, permitindo aos turistas longos passeios de charrete pelas principais artérias urbanas.
Diz-nos Luiz Leitão que em Paris a lei do trânsito obrigava a que as charretes estivessem colocadas do lado oposto à sombra, obrigando os cavalos a estar parados horas intermináveis e a apanhar sol nas suas cabeças causando-lhes sofrimento e graves doenças.
Perante tal violência as sociedades de protecção aos animais, como a Société Protectrice dês Animaux (França) ou a American Society for the Prevention of Cruelty to Animals (EUA) começaram a argumentar que também os cavalos deviam usar chapéus de palha.
Tal ideia apesar de não ser inovadora, em Itália os cavalos usados no campo usavam tradicionalmente chapéus, acabou por ser causa de grandes polémicas, particularmente nos grandes centros urbanos.
Para fomentar uma atitude mais protectora por parte dos tratadores destes animais, a S.P.A. acabou por distribuir, anualmente e de forma gratuita, cerca de 5.000 chapéus de palha para os cavalos, e isto só em Paris!
Este conceito foi de grande importância, não só os cavalos começaram a ser mais saudáveis por ter as suas cabeças mais resguardadas e frescas, como se verificou uma evolução nos seus chapéus, podendo-se agora encontrar novos modelos nas suas cabeças como a cartola, o henin, o sombrero e muitos outros…
Como diz o ditado, chapéus há muitos…. mas cabeças também as há!

terça-feira, julho 01, 2008

noite de leilão!


Realizou-se no passado dia 27 de Junho, o jantar de beneficência para leilão dos chapéus doados pelos estilistas ao projecto UM CHAPÉU POR UM SORRISO.

O jantar, que decorreu na Casa do Morgado, contou com a participação do Presidente da Câmara e vereadores, da Dra. Margarida Pinto Correia, directora da Fundação do Gil, de alguns dos estilistas que aderiram ao projecto, dos representantes dos parceiros e de diversas pessoas que generosamente se associaram a este jantar, contribuindo deste modo para o sucesso do projecto.

Relembre-se que para a concretização deste projecto, o Museu da Chapelaria e a Fundação do Gil contaram com o apoio da revista ATTITUDE, das empresas CITY EYES e FEPSA, do CITEVE e da ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE CANCRO CUTÂNEO.

Posteriormente, associaram-se ainda como parceiros a CASA DO MORGADO (que fez reverter parte da receita do jantar para a Fundação do Gil), a S. JOÃO DA MADEIRA.COM (que apoiou financeiramente a contratação da banda que animou o jantar) e a Sra. D. Filomena Rangel (cake designer que ofereceu 12 bolos em formato de chapéu).

Aos estilistas ANA SALAZAR, ANABELA BALDAQUE, ANDREA PRADO MARQUES, CELSUS, KATTY XIOMARA, JORDANN SANTOS, JULIANA CERDEIRA, MARIA GAMBINA, MIGUEL VIEIRA, NUNO GAMA, PEDRO ALVES E STORYTAILORS (João Branco e Luis Sanchez),

A todos os que participaram neste jantar,

A todos os que nesta noite licitaram os chapéus,

A todos os parceiros que nos apoiaram e transformaram este chapéu num sorriso de esperança,


o nosso MUITO OBRIGADO pela sua generosidade e empenho neste projecto!

quarta-feira, junho 25, 2008

Jantar e leilão de beneficência no dia 27 de Junho


Chapéus criados por estilistas vão ajudar a Fundação do Gil


Ana Salazar, Maria Gambina, Nuno Gama e Miguel Vieira entre os nomes da moda que aderiram ao projecto “Um chapéu por um sorriso”


Chapéus desenhados por estilistas de renome vão ser vendidos em leilão, no próximo dia 27 de Junho, às 20 horas, no âmbito de um jantar de beneficência que terá lugar no restaurante “Casa do Morgado”, em S. João da Madeira.

A receita reverterá para a Fundação do Gil, sendo esse o grande objectivo da iniciativa “Um chapéu por um sorriso”, que junta diversos parceiros: a revista Attitude, Interior Design, as empresas City Eyes e Fepsa-Feltros Portugueses, o Citeve e a Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo, além do Museu da Chapelaria.

Para tal, diversos estilistas foram convidados a criar chapéus únicos que serão vendidos nesse leilão. Entre os nomes da moda envolvidos contam-se Ana Salazar, Anabela Baldaque, Maria Gambina, Nuno Gama, Miguel Vieira, StoryTailors, Katty Xiomara, Pedro Alves, Andreia Prado Marques, Celsus, Jordann Santos e Jorge Costa e Juliana Cerdeira.

Para participar no jantar de beneficência, os interessados devem efectuar a sua pré-reserva através do telefone 256 201 680.

sábado, junho 21, 2008

3 anos de chapéus!




O Museu da Chapelaria comemora hoje o seu 3º aniversário.


Junte-se à nossa festa e partilhe da nossa alegria.




Programa


15h - workshop de danças e cânticos cómicos


16h15 - largada de balões


16h30 - encontro de Chapeleiros

quarta-feira, junho 18, 2008

como vivam e brincavam os meus avós


Exposição "Como viviam e brincavam os meus avós" dos alunos do 1º e 2º anos do 1º Ciclo.

Desenvolvido no âmbito do projecto educativo municipal, este projecto que agora se apresenta sob a forma de exposição, propõe uma viagem de retorno à infância dos avós dos mais pequenos… a uma infância onde o imaginário tinha um papel principal… a uma infância marcada por pessoas, histórias, brinquedos e memórias… memórias que representam afectos, sentimentos e emoções e que fazem parte da identidade de cada um de nós.

segunda-feira, junho 16, 2008

A indústria da chapelaria em S. João da Madeira


Em S. João da Madeira, a primeira fábrica de chapéus de lã grossa foi fundada em 1802 por J. Gomes de Pinho. Fabricar um chapéu exigia muito esforço manual e tempo pelo que grande parte da população sanjoanense vivia da chapelaria.

Em 1914 surge em S. João da Madeira a primeira fábrica de chapéus totalmente mecanizada, movida a vapor e produtora de chapéus finos, a Empresa Industrial de Chapelaria Lda., de António José de Oliveira Júnior, (antiga Oliveira, Palmares & Cª criada em 1891).
A mais importante fábrica de chapéus portuguesa levou ao forte desenvolvimento da economia sanjoanense, tornando Portugal conhecido em todo o mundo devido à qualidade dos seus produtos. Paralelamente, causou uma forte contestação por parte dos operários chapeleiros que temiam perder os seus postos de trabalho para as máquinas.

Nos anos 30 o movimento d‘os deschapelados’ ganha forma, levando ao progressivo desuso do chapéu. Com a diminuta procura deste artigo, as fábricas ressentem-se e os empresários apostam em novos sectores como os chapéus de tecido, o calçado ou a borracha.
Nos anos 40, a produção de pêlos e feltros é centralizada em S. João da Madeira, com a criação em 1943 da Cortadoria Nacional do Pêlo, única fábrica que trabalha os pêlos e, em 1969, da FEPSA SA., oriunda da fusão de fabricantes e apropriagistas como forma de combater a crise que se instalara.

Apesar dos esforços de operários, patrões e governo, a partir dos anos 50 as fábricas começam a encerrar, como aconteceu com A. Henriques & Cª, Lda.; Vieira Araújo & Cª, Lda.; Nunes da Cunha & Cª, Lda.; Soares Silva & Duartes; Pinho, Costa & Cª, Lda.; Nicolau da Costa & Cª, Lda.; entre outras, até que em 1995 também a EICHAP acaba por encerrar as suas portas.
Actualmente, S. João da Madeira ainda é o maior produtor nacional de chapéus, produzindo para os mercados internacionais, contudo não é possível comparar a vida da indústria chapeleira dos dias de hoje com a importância e força que teve há quase cem anos atrás.

O museu saiu à rua - Cidade no Jardim


sexta-feira, junho 13, 2008

Férias de Verão no Museu





Estão abertas as inscrições, até ao próximo dia 25 de Junho, para o Programa "Férias de Verão no Museu". As actividades de Verão vão decorrer entre 1 de Julho e 11 de Julho, das 14h30 às 17h30.
Para mais informações, contacte o Serviço Educativo do Museu pelo telefone 256 201 680 ou solicite a ficha de inscrição pelo seguinte e-mail
museu.chapelaria@gmail.com.

PROGRAMA

Dia 1 de Julho - Brincadeiras de legumes
Há legumes verdes, vermelhos, laranjas e cor-de-rosa e há legumes

de muitas formas e muitos feitios… já os conheces todos?

Dia 2 de Julho - Papagaios no Museu
Vem construir e lançar papagaios no céu do museu.

Dia 3 e 4 de Julho - Há música no Museu
Sabias que podes construir o teu próprio instrumento musical com materiais

reciclados? Vem aprender como no museu da chapelaria!

Dia 8, 9 e 10 de Julho - A ciência vive no museu
As ciências também podem ser muito divertidas! Vem descobrir como!

Dia 11 de Julho - Acampamento no Museu (apenas no horário nocturno)
Já dormiste num museu? Então esta noite traz o teu saco-cama e o pijama e

vem divertir-te com muitas actividades que temos para ti! Esperam-te muitas

surpresas… como um workshop de Risoterapia onde vais rir até… rebentar!


PREÇO DE INSCRIÇÃO

PACOTE A: 8 DIAS DE ACTIVIDADE: 40€
(com acampamento incluído)

PACOTE B: 4 DIAS DE ACTIVIDADE: 25€
(excluindo o dia de acampamento)

PACOTE C: 1 OFICINA: 7€
(excluindo o dia de acampamento)

ACAMPAMENTO: 10€
(inclui entrada no workshop de Risoterapia, que decorrerá a partir das 21h30)

A Lenda de São Tiago

"São Tiago Maior"(1661) - Rembrandt

São Tiago, apostolo mártir, filho de Zebedeu e irmão de São João Evangelista, cuja festa se comemora a 25 de Julho é, desde longa data, o padroeiro dos chapeleiros. Pouco se sabe sobre esta lenda, não existindo nenhum relato escrito da mesma, sendo transmitida, oralmente, através dos tempos. Mas é a São Tiago que se atribui a descoberta do segredo que deu origem à indústria de chapelaria. Reza a lenda que São Tiago tinha por costume, para se defender do frio nos pés, forrar as suas sandálias com peles de coelho. O pêlo friccionado e aquecido com o calor dos pés feltrava, ou seja, tornava-se espesso, consistente, formando uma pasta grossa e densa. Diz-se que foi desta forma que se descobriu o processo de feltragem que ao longo dos tempos foi evoluindo até dar origem ao moderno fabrico dos chapéus. Sabe-se porém, que o processo de feltragem, devido a achados arqueológicos, é muito anterior. Os achados arqueológicos mais antigos, que reportam ao uso de feltros, estão na Turquia. Foram encontradas pinturas nas paredes que datam de 6500 a 3000 A.C. cujo motivo se refere à aplicação de feltro.
Em Pazyryk, no sul da Sibéria, foram encontradas evidências de feltro dentro de um túmulo de um chefe tribal nómada que data do século V a.c.
Os chapeleiros de São João da Madeira mandaram esculpir uma imagem de São Tiago para venerarem o padroeiro, encontrando-se num dos altares da Igreja Matriz desta cidade.

domingo, junho 08, 2008

Chapéu do Mês: Fedora

.
video


O século XX foi um período de grandes revoluções sociais e culturais, e foi também o momento áureo dos grandes estilistas que provocaram constantes mudanças na moda à qual o chapéu não foi excepção. Da cartola e coco surgem novos modelos, mais pequenos, adaptáveis e de estilo citadino, como o Fedora.

Este chapéu surgiu em 1910, com a peça de teatro "Fedora" (1882, Victorien Sardou), cuja protagonista principal, a Princesa Fedora Romazova usava um novo modelo. Pela sua adaptabilidade torna-se símbolo de elegância, afirmação pessoal e parte obrigatória do traje de negócios enquanto que novas variantes surgiam, como o “Gangster" usado por algumas das maiores mentes criminosas como Bugsy Siegel ou Al Capone.

O Fedora marcou presença nas mais diversas áreas, do teatro ao cinema, à música e à banda desenhada, surgindo no filme Casablanca (1942), nas histórias de Indiana Jones e de Mick “Crocodile” Dundee; usado por artistas como Frank Sinatra ou The Blues Brothers e imagem de marca de heróis da BD como Dick Tracy ou Clark Kent.

Entre a década de 60 a 90 cai em desuso provavelmente devido ao facto de John Kennedy, não ter usado chapéu, como deveria, na cerimónia para o seu juramento para presidente dos EUA. A partir da década de 90, a moda vive um período revivalista e o Fedora volta a ganhar vida.

Totalmente renovado, de estilo moderno e urbano, é elemento essencial de apreciadores dos estilos musicais Hip-Hop e Pop, sendo, uma vez mais, imagem de marca de artistas como Run DMC, P. Diddy, Snoop Dogg, Justin Timberlake, Madonna, Britney Spears ou Carlos Santana. É um chapéu de estilo urbano, arrojado e moldável pelo que qualquer um o pode personalizar de acordo com o seu próprio estilo... é como que usar um novo modelo todos os dias

quinta-feira, junho 05, 2008

Nova colecção de chapéus


O Museu da Chapelaria acaba de receber uma preciosa doação de 12 chapéus que reportam a um período entre os anos 30 e 60 do século passado. Entre eles encontra-se uma cartola da Chapelaria Baptista premiada na Grande Exposição Universal em 1934 no Palácio de Cristal, no Porto, e um chapéu de senhora Cristian Dior.

A doação foi feita pela Senhora Dona Maria Isabel da Silva Duarte Dias Oliveira, viúva de Benjamim António Oliveira Valente, neto do ilustre sanjoanense e fundador da Empresa Industrial de Chapelaria, António Oliveira Júnior.

A Senhora Dona Maria Isabel, natural de S. João da Madeira, entendeu que o Museu da Chapelaria seria o melhor local para guardar e mostrar os chapéus que, tal como a sua sogra, a Senhora Dona Palmira Oliveira Júnior, chegou a usar em diversos momentos sociais.

Os chapéus, bem como nove caixas de protecção, encontram-se em bom estado de conservação. O Museu da Chapelaria orgulha-se de receber esta doação, bem como todas as outras que já recebeu, pois ajudam-nos a conservar a história de uma indústria, de costumes e tradições que importa compreender.
Aproveitamos para reiterar os nossos agradecimentos à Senhora Dona Maria Isabel e a todas as pessoas que doaram chapéus ao Museu da Chapelaria.