sexta-feira, Outubro 24, 2014

De que precisam as marcas para sobreviver?





 Decorreu ontem, no Museu da Chapelaria, a quarta conferência do “Industrial - Uma Cidade em 30 anos”, ciclo comissariado pelo jornalista Amilcar Correia.
De que precisam as marcas para sobreviver?” foi a temática desta conferência moderada por Suzana Menezes, chefe de divisão da cultura da Câmara Municipal, e que teve como convidados Paulo Marcelo, designer, investigador e docente no Instituto Superior de Entre Douro e Vouga de Santa Maria da Feira e José Miguel Vieira, Administrador da empresa Viarco.
Ao longo da sessão falou-se de retro-design e retro-marteking e de vários casos de sucesso em Portugal. Falou-se da Viarco e dos caminhos novos encontrados por esta empresa para conseguir impor uma marca centenária no mercado global. Discutiu-se a cidade e a sua identidade industrial fortemente marcada, hoje, pela tecnologia, inovação e criatividade. Discutiu-se o futuro e os caminhos em aberto. Mas também os desafios que as novas empresas e marcas têm que enfrentar, sobretudo, quando o seu mercado é, hoje em dia, tão mais concorrencial quanto global.

A próxima conferência deste ciclo decorre a 31 de Outubro, pelas 21h30, no Auditório da Escola Secundária João da Silva Correia e intitula-se “O que é que a ciência pode fazer pelas cidades?”. Moderada pela jornalista Joana Costa, esta conferência contará com a participação de Fátima Martel, Nuno Cardoso Santos e Patrício Soares da Silva.

domingo, Outubro 19, 2014

CONFERÊNCIA "DE QUE PRECISAM AS MARCAS PARA SOBREVIVER?" | 23 DE OUTUBRO



O Presidente da Câmara Municipal de S. João da Madeira, Ricardo Figueiredo, convida V. Exª para a Conferência Património «De que precisam as marcas para sobreviver?», dia 23 de Outubro, pelas 21h30, no Auditório do Museu da Chapelaria.

A conferência, moderada pela Chefe de Divisão de Cultura e Turismo do Município de S. João da Madeira, Suzana Menezes, conta ainda com a participação do designer Paulo Marcelo e de José Miguel Vieira, em representação da Viarco.

A entrada é gratuita!

Esta é a quarta conferência do Ciclo Industrial - Uma Cidade em 30 anos, que visa refletir sobre quem somos e abrir janelas sobre o futuro.

Pretende-se que a cidade fale sobre si mesma, seja com olhar de quem vive por dentro, seja com o contributo de quem nela nasceu ou viveu e agora a percepciona de fora.

Contamos com a sua presença!

quarta-feira, Outubro 15, 2014

NO 11 DE OUTUBRO FOI ASSIM....


INAUGURAÇÃO DE EXPOSIÇÃO | VIARCO. O DESENHO DE UMA INDÚSTRIA

Viarco. O Desenho de uma indústria” apresenta a história do fabrico de lápis em Portugal, que remonta ao longínquo ano de 1907, mas, sobretudo, a história da VIARCO que começa a ser contada quando, em 1931, Manoel Vieira Araújo, industrial experiente da chapelaria decide adquirir a Fábrica Portuguesa de Lápis, registando, em 1936, a marca VIARCO. 
Os lápis VIARCO passaram a estar, desde então, presentes na vida de gerações e gerações de portugueses, sendo, actualmente, a única fábrica de lápis portuguesa.

  
  
  
  
  
               

NO 11 DE OUTUBRO FOI ASSIM...


INAUGURAÇÃO DE EXPOSIÇÃO | OLIVA. EXEMPLO FELIZ NA VIDA INDUSTRIAL DA NOSSA TERRA

“Oliva. Exemplo feliz na vida industrial da nossa terra” restaura a historia, com mais de 80 anos, daquele que foi o grande bastião da metalurgia pesada portuguesa. Esta empresa fez parte da vida de milhares de trabalhadores que, desde 1925, ajudaram a construir uma História sem paralelo que ficará para sempre associada à máquina de costura OLIVA.